• Sombras

    O celeiro

    Nas terras gélidas do norte, onde o vento cortante dança com os flocos de neve, ergue-se um conjunto de celeiros. Obras-primas de engenharia, esculpidos em pedras que guardam segredos de eras passadas, guardiões de uma riqueza que não se mede em ouro, mas na malha intrincada das histórias entrelaçadas por gerações. As suas paredes, esculpidas pela paciência do tempo e envoltas numa neblina eterna, emanam uma aura que transcende as fronteiras terrenas. Fortalezas de opulência gélida, abrigam uma sinfonia de cores congeladas e fragrâncias cristalizadas, transformando o ato de armazenar alimentos numa celebração poética da vida. Os habitantes destas comunidades, cujas almas são moldadas pela frieza do clima, encontram calor…

  • Sombras

    A conquista da natureza

    Ao longo da história, testemunhamos um notável avanço nas explicações dos eventos ao nosso redor. À medida que a ciência e a razão se desenvolveram, muitos mitos e explicações místicas foram gradualmente substituídos por teorias fundamentadas em evidências e observações. A diminuição dos mitos reflete a capacidade da humanidade de questionar, explorar e descobrir, pavimentando o caminho para um entendimento mais profundo e fundamentado do mundo que habitamos. Este avanço aumentou o poder do homem sobre a Natureza. A ideia de que o controlo da natureza e dos seus recursos é partilhado por todos os homens é também um mito já desfeito por muitos pensadores contemporâneos. De facto, ao longo…

  • Sombras

    Desobediência civil

    Na vastidão das terras escocesas, onde as colinas ondulantes e os majestosos castelos espreitam entre as névoas, pode-se encontrar uma conexão peculiar entre a beleza natural e a história da desobediência e luta por direitos civis. Embora à primeira vista esses castelos possam evocar imagens de uma era medieval, eles também têm testemunhado a persistência e a resiliência do espírito humano ao longo dos séculos. Caminhar entre os castelos escoceses é mergulhar num cenário que, paradoxalmente, convida a contemplação e reflexão sobre questões de liberdade, justiça e resistência pacífica.  Relembro a primeira de muitas consultas à obra de um autor que defendeu, a custo, a desobediência civil como forma de…

  • Sombras

    A normalização da mediocridade

    “Olá, professor! Espero que ainda se lembre de mim. Hoje as aulas começaram. A meio da manhã, recebi a notícia de que você já não dá aulas na nossa escola, o que me deixou bastante triste. O professor sempre foi muito amigável e ensinava de forma incrível! Fez com que eu tivesse vontade de tirar ótimas notas, fez com que a matéria se tornasse extremamente interessante e, o mais importante, fez com que eu criasse um enorme carinho pela matéria e pelas suas aulas. Não tenho dúvidas de que, até hoje, foi o melhor professor que já tive, também não tenho dúvidas que permanecerá a sê-lo. Sentirei muitas saudades suas,…

  • A outra margem

    A gota

    Ao longo das margens do ribeiro, no cenário que se desenha sazonalmente, uma gota de água prepara-se para uma jornada peculiar. Escorre das montanhas a cada estação de chuva, é como o começo de uma nova fase na sua vida. À medida que o céu derrama as suas bênçãos, ela junta-se a uma crescente corrente de água, ansiosa para seguir seu curso. É o início de uma jornada cheia de promessas e aventuras. À medida que a gota viaja pelo ribeiro experimenta desafios e obstáculos. Contorna pedras e redemoinhos, enfrenta os altos e baixos da topografia do terreno. É uma viagem pontilhada de desafios e momentos de superação. No auge…

  • A outra margem

    As margens da possibilidade

    À chegada ao Castelo de Eilean Donan, vejo-me imerso num mundo que parecia ter sido esculpido diretamente das páginas de um livro de contos medievais. Este castelo, situado numa pequena ilha misteriosa nas Highlands é um símbolo imponente do imaginário social medieval.À medida que me aproximo das muralhas do castelo, as pedras antigas sussurram histórias de nobres e donzelas, de batalhas heróicas e tradições ancestrais. Sinto cavaleiros a defender a honra e a justiça e trovadores a entoar canções de amor. Quando entro, vejo salões com tapeçarias ricamente bordadas a retratar cenas de batalhas. Imagino nobres com roupas sumptuosas e jóias brilhantes e servos a manter viva a chama da…

  • Mitos

    Na terra dos mitos

    Enquanto caminho por entre as majestosas paisagens escocesas, sou acolhido pela magia que permeia esta terra. Sob o céu nublado, as colinas verdes estendem-se até onde a vista alcança. À medida que avanço pelo caminho sinuoso, criaturas do imaginário natural da Escócia começam a aparecer ao meu lado. Os espíritos das árvores sussurram segredos antigos enquanto as fadas travessas voam ao meu redor deixando rastos de brilho dourado no ar fresco da montanha. Monstros lendários deixam as águas profundas e escuras repletas de mistérios. A cada passo, a Escócia revela mais o seu mundo mágico e selvagem, uma terra onde o real e o imaginário se entrelaçam em perfeita harmonia.…

  • Sombras

    O farol de Popper

    No cenário idílico de Muxía, erguem-se dois pilares de significado e espiritualidade: o Farol e a Igreja. Neste local sagrado e majestoso, onde elementos naturais e construções humanas se entrelaçam, chega uma peregrina solitária. À sombra da grandiosa igreja e, cansada pelo longo caminho percorrido, tira a mochila dos ombros e encontra um lugar isolado próximo ao farol. O seu semblante revela uma mescla de exaustão e determinação, uma jornada espiritual que a trouxe a este local. Senta-se em meditação à procura não apenas de descanso para o corpo, mas também um momento de introspecção e conexão com algo maior.O farol, com a sua luz intermitente que corta o céu…

  • Mitos

    A textura de um mito

    Assim que chego ao Cabo Finisterra, os meus sentidos são envolvidos por um véu de perplexidade e reverência. A imponência da paisagem é como um quadro que escapa das bordas da tela, onde o céu e o mar se encontram num abraço interminável, dissolvendo as fronteiras entre o visível e o etéreo. Aponto a objetiva e sei exatamente o que estou a registar mas tenho perante mim uma imagem difícil de digerir. A força mitológica do espaço confronta os limites da minha racionalidade. A história deste local ecoa nas brisas salgadas que varrem a costa, sussurrando antigas epopeias e lendas perdidas no vento. Em cada uma sentem-se os segredos de…

  • Sombras

    O muro e a roda da fortuna

    Há uns dias, um amigo, dado a esta coisa das conexões e redes políticas, numa das suas breves demonstrações de retórica diz: – A função de um político é deixar as coisas melhor do que as encontrou.Dispensando outro tipo de comentários, pedi-lhe um boletim de voto por tamanha honra a minha conhecer tal figura. Sabendo eu que não guarda esse tipo de inocência em si, estaria certamente a sofrer as consequências da rodela de limão que colocou num copo meio vazio de gin. Nem a propósito, no dia seguinte, numa das minhas caminhadas em fim de tarde, encontro o senhor António.Habitante numa rua tranquila, no coração e centro histórico da…